Você está aqui
Home > Relacionamento > Mulheres mais educadas, homens mais assustados

Mulheres mais educadas, homens mais assustados

Fallback Image

Será que homens aguentam ter mulheres parceiras que sejam mais poderosas do que eles? Será que os tempos estão mudando e isso já não abala tantos os homens? Será?

Uma análise do censo americano, publicada em 19 de janeiro deste ano no jornal The New York Times, mostra que mulheres que ganham mais que seus companheiros e tem papéis invertidos nas funções tradicionais do casal, estão mais propensas a encontrarem dificuldades em estabelecer uma relação afetiva duradoura.

O censo americano analisou mulheres entre 30 e 44 anos e constatou que muitos homens estão ficando atrás das mulheres em termos de formação educacional. Ou seja, mais bem educadas conseguem posições de maior destaque nas empresas. Em contrapartida, aumentam suas dificuldades de encontrar parceiros que lidem bem com essa diferença.

Os números comprovam esse crescente descompasso. Em 1970, nos USA, 28% das esposas tinham maridos que possuíam nível escolar mais elevado que elas e 20% eram casadas com homens menos educados. Além disso, 4% dos maridos tinham mulheres que ganhavam mais do que eles. Em 2007, os dados comparáveis mudam para 19% , 28% e 22%, respectivamente.

O que se vê então, pelo menos nos USA: uma inversão bem clara apontando para mulheres ganhando mais do que homens, fruto de uma formação escolar superior.

Aterrisando no Brasil, hoje, nas universidades brasileiras a proporção de mulheres x homens é de aproximadamente 60% x 40%. Ainda lutamos pela paridade salarial entre gêneros mas esse contingente maior de mulheres brasileiras educadas, fatalmente, pressionará cada vez mais nessa direção.

Não são poucos os exemplos de mulheres que conheço, super interessantes e bem sucedidas, que encontram dificuldades para encontrar homens que “aguentem” conviver com elas. Precisamos, urgentemente, discutir esse tema e buscar soluções para que esse mal estar contemporâneo.

Cecília Russo Troiano é psicóloga, sócia-diretora da Troiano Consultoria de Marca e autora do livro “Vida de Equilibrista”. Casada e mãe de 2 filhos, ela afirma que é mãe equilibrista, vive sua vida tentando equilibrar “pratinhos”.

Email – cecilia@troiano.com.br / Venda do livro pelo site www.vidadeequilibrista.com.br

[Vila mulher]

Similar Articles

  • Pingback: Melhor Amiga()

  • mari

    o que foi esquecido nesse asunto é que as mulheres de hoje sabem oque querem, e nao vao ficar engolindo sapo como as mulheres de 30 anos atras fizeram. se nos ganhamos bem nao ha porque ficar com um homem sentado assistindo tv, depois de trabalhar o dia todo tenho que cuidar das criancas sozinha quando chego em casa? eu moro nos estados unidos, e mesmo que a gente ganhe bem, empregada é coisa cara, podemos pagar baba durante o dia, mas a noite é obrigacao do pai e da mae cuida-las. aqui o relacionamento acaba,52% dos casamento acaba em divorcio antes dos 8 anos. mas isso tudo porque o homem ainda nao aprendeu que a cozinha tambem é pra ele.que trocar fraldas e dar a mamadeira faz parte de ser pai. levar as crianças pra atividades depois da escola e brincar com elas tambem é sua responsabilidade.nao importa o qnt a mulher gamha, mas qnd ela é segura e sabe que pode arcar com as depesas da familia, ela parte pro divorcio.

Acima
%d blogueiros gostam disto: