Você está aqui
Home > Gravidez e Bebê > Endometriose: uma inimiga da gravidez

Endometriose: uma inimiga da gravidez

Fallback Image

O endométrio, é o tecido que reveste a cavidade do útero. Este é o tecido que se desprende do utero na época da menstruação e também o local onde o embrião se adere e se desenvolve durante a gravidez. Porém, o endométrio também pode ser responsável por alguns problemas relacionados à saúde feminina. Quando o endométrio está localizado em outras partes do organismo, isto caracteriza a endometriose, problema que tem influência sobre a saúde feminina e que pode levar à dor intensa e infertilidade.

Em entrevista com a Dra. Rosa Maria Neme (CRM SP-87844), graduada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, Doutorado em Medicina na área de Ginecologia pela Universidade de São Paulo e Diretora do Centro de Endometriose São Paulo, foram feitas pergunatas como:  Até que ponto a endometriose pode afetar a fertilidade da mulher e os possíveis tratamentos para reverter o quadro de infertilidade. Acompanhe e tire suas dúvidas.

1. Até que ponto a Endometriose pode influenciar na fertilidade feminina?

Cerca de 30 a 40% das mulheres que sofrem de endometriose têm infertilidade. Entre as mulheres que têm infertilidade, 50% delas têm endometriose.

2. A endometriose pode influenciar na anatomia do aparelho reprodutivo da mulher? Como?

A mudança na anatomia do aparelho reprodutivo feminino é o principal fator que causa infertilidade na mulher que já sofre com a endometriose. Esta é uma doença inflamatória e, ao longo do tempo, este processo inflamatório causa aderências entre os órgãos reprodutivos, levando à alteração da anatomia e, consequentemente, à infertilidade. No entanto, há mulheres com quadros de endometriose inicial e que também podem apresentar dificuldades para engravidar, mas o que ocasiona ainda este problema é desconhecido.

3. Em quais situações é possível reverter o quadro de infertilidade através dos tratamentos para endometriose?

É preciso avaliar caso a caso. Em geral, o tratamento cirúrgico pode reverter a situação nos quadros de endometriose menos avançada ou ainda em alguns casos avançados. Só a avaliação médica poderá dar um diagnóstico mais preciso.

4. Qual a porcentagem de mulheres que conseguem engravidar após o tratamento de endometriose?

Mais de 50% das mulheres têm uma chance maior de engravidar, após o tratamento cirúrgico da doença.

5. Mesmo tendo realizado o tratamento para endometriose e ter engravidado, é possível haver recidiva da doença? Tem alguma explicação para isso?

As chances de retorno da doença, mesmo após uma gravidez é grande, desde que a mulher não faça nenhum tratamento hormonal pós-gestacional para controle da doença. Infelizmente, por não sabermos o que ocasiona a endometriose, não sabemos como curar a doença ou evitar a recidiva da mesma.

6. O tratamento da endometriose continua mesmo durante a gravidez? Em caso positivo, pode afetar o desenvolvimento do feto?

Normalmente, mantemos uma dose aumentada de progesterona nos primeiros três meses da gravidez a fim de diminuir os riscos de abortamento precoce. Esta medicação não acarreta nenhum dano para a mãe ou para o feto.

7. Existe algum risco para a mulher ou o feto se a mãe engravidar ainda no começo do tratamento da endometriose?

Não há nenhum risco. Apenas quando ela está fazendo o tratamento pós-cirúrgico com o análogo do GnRH, a mulher deve evitar engravidar, pois se isso ocorrer pode haver um risco maior de abortamentos.

Similar Articles

Acima
%d blogueiros gostam disto: