Você está aqui
Home > Nutrição > Comer gelatina não diminui a flacidez, explica dermatologista

Comer gelatina não diminui a flacidez, explica dermatologista

Fallback Image

A dermatologista Annia Cordeiro Lourenço explica qual a função das fibras de colágeno e por que o consumo oral da substância não é indicado.

Quando o assunto é pele firme e bonita, o colágeno é o centro das atenções. Isso porque ele é responsável exatamente por dar mais firmeza e sustentação à pele. Entretanto, há alguns fatores que promovem a destruição dessas fibras e inibem a sua produção, como a exposição solar sem proteção, o fumo e, é claro, o envelhecimento. “A partir dos 25 anos, a perda de colágeno passa a ser maior que a produção, devido à diminuição na quantidade e no funcionamento dos fibroblastos, células das quais as fibras se originam”, explica a dermatologista Annia Cordeiro Lourenço.

Para retardar o envelhecimento, um dos principais fatores é a prevenção, evitando o comportamento que promove a destruição do colágeno. Outra atitude é estimular a produção das fibras colágenas, por meio de tratamentos que atuam diretamente no fibroblasto, como laser, peelings e cremes com ácidos. Além de estimular a produção de colágeno, o especialista pode indicar vários tratamentos que ajudam a ‘proteger’ o colágeno existente no organismo, evitando a sua perda. “Medicamentos via oral, como vitaminas, licopeno, resveratrol, pomegranate e outros antioxidantes podem inibir a produção de enzimas que quebram as fibras colágenas, reduzem o dano solar e protegem a pele de manchas”, aponta.

Mas Dra. Annia alerta: o consumo de colágeno via oral não tem efeito sobre a firmeza da pele. Ingerir a substância, seja em pó, cápsulas ou mesmo na gelatina, não contribui para a formação de novas fibras nem evita a perda. “O colágeno, ao ser consumidor via oral, é digerido no estômago e o processo quebra a proteína, transformando-a em aminoácidos que terão outra função no organismo”, explica. “Hoje, ainda não há nenhuma comprovação científica de que haja benefício na ingestão. São necessários mais estudos antes de haver a indicação efetiva desse medicamento no tratamento contra o envelhecimento”.

A especialista explica que o uso de cosméticos que têm colágeno em sua formulação também não resulta em uma pele mais jovem e bonita. “O colágeno não vai penetrar nas camadas mais profundas da pele, promovendo a firmeza. O que o dermatologista pode indicar são cremes e loções de uso tópico que contêm substâncias que irão estimular a produção das fibras, como o ácido retinóico, por exemplo”.

Dra. Annia Cordeiro Lourenço é Graduada em Medicina pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) em 1995, fez residência em Dermatologia na Santa Casa de Curitiba e especialização na mesma área na Sociedade Brasileira de Dermatologia. Além disso, fez estágios em hospitais de Miami e Barcelona.

Similar Articles

Acima
%d blogueiros gostam disto: