Você está aqui
Home > Atividade Fisica > Atividade física melhora a vida de pacientes com câncer

Atividade física melhora a vida de pacientes com câncer

Fallback Image

Pacientes em tratamento contra o câncer sofrem com os diversos efeitos colaterais causados pelos tratamentos de radioterapia e quimioterapia, como náuseas, vômitos, queda de cabelo, fraqueza, palidez, infecções, sangramentos, mucosite, diarréia, prisão de ventre, fadiga, alterações da pele e unhas e toxidade sobre os nervos. Esses efeitos colaterais podem ser aliviados com atividades físicas especializadas, que fortalecem a musculatura, ajudam no controle de peso, reduzem a fadiga e melhoram a auto-estima e o bom humor. Portanto, são benéficos fisicamente e psicologicamente.

Para as pessoas que praticavam exercícios e pararam e decorrência da doença, a interrupção dessas atividades pode provocar atrofia muscular e diminuição da densidade óssea, o que contribui significativamente para o risco de fraturas e complicações cardiovasculares. Aproximadamente um terço dos pacientes com câncer apresenta sensível diminuição das capacidades funcionais do corpo e uma das causas pode ser atribuída ao sedentarismo e a condições hipocinéticas, fatores que podem facilmente ser alterados com a realização de exercícios em um ambiente especializado e acompanhamento médico.

A B-Active, academia que tem como principal segmento a Medicina Esportiva, oferece serviços especializados para pessoas que passam por tratamentos de saúde. As atividades são desenvolvidas e coordenadas por médicos nutricionistas, fisioterapeutas e professores de educação física pós-graduados em fisiologia do exercício. Dr. Benjamin Apter, especialista em Medicina Esportiva e diretor da Academia B-Active, explica que a aplicação correta de exercícios respeitando cada fase da doença e do tratamento é fundamental para o aumento da resistência do organismo. Estudos recentes apontam que os efeitos colaterais dos tratamentos são mais bem suportados em pessoas treinadas do que em sedentários. Outro fator importante para a prática de exercícios é evitar a atrofia dos músculos e perda ou diminuição de mobilidade que podem acarretar complicações no curso da doença.

A prática de exercícios físicos é benéfica não apenas para quem ainda faz tratamento. Realizar exercícios é útil também para pacientes que já estão em remissão ou recorrentes da doença.

No entanto, é preciso ressaltar que esse treinamento deve ser feito por profissionais qualificados, com recomendação e acompanhamento médico. É preciso tomar cuidado também com os tipos de exercícios feitos por esses pacientes e a frequência, para que não ocorram disfunções no peso, problema comum a quem tem câncer, que costumam perder ou ganhar peso em excesso.

Dr. Benjamin Apter. Médico especialista em Medicina Esportiva, Fisiologia do Exercício e Diretor da Academia B-Active.

Similar Articles

Acima