Você está aqui
Home > Nutrição > Como se alimentar com a volta as aulas

Como se alimentar com a volta as aulas

Fallback Image

Durante o período de férias é comum, para algumas pessoas, deixarem os hábitos alimentares saudáveis de lado. O retorno às aulas é, uma oportunidade para retomar a boa alimentação e para alguns é o momento certo para reeducar a rotina alimentar.

Segundo a nutricionista Natalia Lautherbach, da Rede Mundo Verde é comum as cantinas das escolas e faculdades oferecerem opções de lanches rápidos e nada saudáveis. Além disso, quando há lanchonetes de fast-foods próximas a estes estabelecimentos torna-se mais difícil resistir à tentação. “O melhor a ser feito é carregar na mochila opções de lanches leves e nutritivos para não correr o risco de se render aos grandes vilões da alimentação” afirma Natalia.

De acordo com a especialista, a falta de concentração, fadiga, indisposição, sonolência, dificuldade de memorização e irritabilidade são alguns dos sintomas que podem ser decorrentes de uma má alimentação. “Portanto, repense os seus hábitos e comece a incluir alimentos saudáveis no intervalo de suas aulas, além de garantir boa saúde ao cérebro, no final do mês você ainda vai economizar” diz.

Para fornecer combustível para o nosso cérebro não podem faltar alimentos ricos em carboidratos e fibras, como por exemplo: cookies integrais barras de cereais, barras de frutas, frutas desidratadas e frutas in natura. Estes alimentos são riquíssimos em nutrientes antioxidantes que combatem os radicais livres, moléculas nocivas às nossas células.

Os cereais integrais, por serem ricos em fibras, fornecem energia de forma lenta e constante, além de zinco (impede o envelhecimento precoce do cérebro) e vitamina B6 (importante para o desempenho cognitivo). Quinua, amaranto, arroz integral, aveia, pão integral e macarrão integral são alguns exemplos.

Outra dica é ter sempre um mix de oleaginosas na bolsa, porque além de serem ricas em gorduras aliadas à saúde do coração, geram saciedade. Castanhas, nozes, amêndoas e pistache acrescidos de damasco seco e uvas passas são um bom exemplo.

Inclua nas refeições azeite de oliva extravirgem, óleo de canola e de linhaça, ricos em ácidos graxos insaturados que fazem parte da estrutura das células nervosas e garantem eficácia na troca de informações entre elas, que contribuem para um raciocínio mais rápido.

Evite alimentos ricos em gorduras saturadas, trans, açúcares e sódio, responsáveis por atrapalhar o desempenho cerebral. Estão presentes, por exemplo, em refrigerantes, sucos industrializados, biscoitos recheados, balas e salgadinhos.

Mantenha-se bem hidratado, carregando sempre água mineral na mochila e quando possível, opte por suco de uva integral ou suco de frutas naturais, feito na hora e sem adição de conservantes e açúcares.

É de extrema importância fracionar a alimentação em torno de 5 a 6 refeições diárias, se alimentando sempre a cada 3 horas.

Não se esqueça: para ter um estilo de vida saudável e garantir o bom funcionamento de todos os nossos órgãos é fundamental associar uma reeducação alimentar com a prática regular e orientada de atividade física!

Similar Articles

Acima