Você está aqui
Home > Qualidade de Vida > Osteopatia nas empresas: bem-estar e produtividade

Osteopatia nas empresas: bem-estar e produtividade

Fallback Image

Profissionais afirmam que a terapia organiza o sistema de saúde, diminuindo os casos de afastamento no trabalho.

Os gastos com a saúde têm se mostrado um dos maiores pesos para as empresas. A assistência médica torna-se um desafio para os executivos de recursos humanos. Qual a melhor solução de custo-benefício para uma boa gestão nesta área? A resposta é simples: um programa preventivo.

É neste contexto que a osteopatia representa um dos grandes aliados para a precaução e reabilitação de doenças ocupacionais e acidentes no ambiente de trabalho. Segundo Leandro Sousa, diretor da Laborall, empresa de Campinas que assessora clientes em temas ligados à saúde ocupacional, “quando aplicada dentro de uma análise global, inclusive no próprio ambiente corporativo, a Osteopatia serve como excelente ferramenta de prevenção de DORTs (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho) e de qualquer tipo de disfunção que acompanha o funcionário em seu posto de trabalho”, esclarece.

Ou seja, diminuir os problemas de saúde do trabalhador é sinônimo de qualidade de vida do empregado e, consequentemente, aumento da produtividade na empresa.

Sempre com uma visão Osteopática, o avaliador busca indícios de disfunções sistêmicas que possam afetar o bom funcionamento corporal e levá-lo a lesões. Dr. Gabriel Boal, fisioterapeuta e osteopata que atua nas empresas de Piracicaba e região, explica que “o atendimento é realizado, normalmente, no ambulatório da corporação. Assim, é feita a triagem e o tratamento dos funcionários que estão com alguma dor. É importante ressaltar também, que é uma atividade em conjunto com o médico do trabalho”.

Com uma exigência de espaço e equipamentos praticamente nula, a osteopatia é de rápida aplicação e, em 80% dos casos, os funcionários retornam ao posto sem perder as horas de trabalho. “O tratamento é feito de forma individual e em uma curta duração. Assim que realizado, o empregado já retorna ao seu posto de trabalho. São utilizados o mesmo objetivo e a mesma técnica do consultório, o que diferencia é um contato maior com o paciente”, afirma Dr. Felipe Yamaguchi, osteopata e proprietário da Clínica Reacciona de Piracicaba, que também aplica a técnica osteopática nas empresas.

Já, quando questionado sobre o custo-benefício para as empresas, Dr. Gabriel Boal é enfático: “Além de uma condição física e mental melhor para o funcionário, já que ele trabalha sem dor e, portanto, mais motivado; para a empresa, a diminuição nos custos, por ser uma terapia de rápida eficácia e curta duração, gera uma grande economia nas horas gastas com afastamentos e tratamentos fora do ambiente corporativo”, salienta.

Quem pode comprovar isso, é a assistente executiva da Campluvas, Silvia Macedo, uma empresa que atua em nível nacional no ramo de lavanderia industrial. “Há três anos nossa empresa faz a ginástica laboral acompanhada pela técnica osteopática. Notamos uma grande diferença na postura, na forma de trabalhar, e principalmente nos casos de afastamento, já que não registramos mais nenhuma ocorrência desde o início das atividades”, declara.

Por isso, Dr. Gabriel Boal aconselha: “Toda empresa deve ter este serviço já que gera ótima economia. O projeto é feito de forma específica para cada tipo de companhia, levando em consideração o número de funcionários, risco ergonômico e tipo de atuação da instituição”, conclui.

A osteopatia

É uma forma de medicina não convencional, que usa técnicas manuais para diagnosticar e tratar uma grande variedade de problemas de saúde. Ela se baseia na filosofia de que o corpo funciona como uma unidade composta de diferentes partes móveis, tais como, músculos e articulações, órgãos e vísceras, circulação sangüínea ou interações microscópicas entre as células. Todas as partes do corpo funcionam juntas de uma forma integrada. Se uma das partes está restrita, as restantes deverão sofrer adaptações e compensações, eventualmente levando à inflamação, à dor, à rigidez e a outros problemas de saúde. O papel da terapia, portanto, é remover esses padrões de restrições, de forma que o corpo funcione corretamente. O osteopata utiliza as mãos para perceber os movimentos e tensões do corpo, através de varias técnicas manuais suaves e não invasivas. Isso significa que pessoas de todas as idades podem consultar um osteopata, desde recém-nascidos até idosos.

 

Similar Articles

Acima
%d blogueiros gostam disto: