Você está aqui
Home > Nutrição > A importância dos cereais integrais contra as doenças crônicas

A importância dos cereais integrais contra as doenças crônicas

Fallback Image

Entidade defende forma “mais natural” para prevenir câncer, diabetes tipo 2 e obesidade e doenças cardiovasculares.

Trocar as versões tradicionais de alimentos à base de grãos e farinhas por seus correspondentes integrais ajuda a evitar o desenvolvimento de doenças cardiovasculares – a principal causa de morte no Brasil. É que defende a Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), que inclui ainda na lista prevenção aos tipos mais frequentes de câncer (mama, próstata, cólon retal, ovário e endométrio), diabetes tipo 2 e a obesidade.

“Quando as pessoas consomem cereais integrais, estão consumindo o grão por inteiro, obtendo dele maior quantidade de fibras, vitaminas e outros benefícios”, explica o Dr. Sidney Federmann, médico nutrólogo da ABRAN. “Dessa forma, aproveitamos ao máximo o potencial desses alimentos”.

Para o médico nutrólogo o farelo e o gérmen são mantidos nos cereais integrais, aumentando a concentração de fibras. “Essas fibras contidas no farelo absorvem ou incorporam-se a gordura excessiva dos alimentos de origem animal, eliminando-as com as fezes, e em conjunto com o gérmen tornam o alimento mais nutritivo, pois neles estão concentradas a maior proporção das vitaminas B1, B2, B3, B5 e B6, além de minerais como ferro, cálcio, selênio, magnésio, zinco e 25% das proteínas, que atuam na prevenção das doenças crônicas”. O farelo dos cereais ainda concentra grande quantidade de ácido fítico (inositol hexafosfato), que inibe o crescimento das células de vários tipos de câncer, forçando-as à destruição.

Entre outros benefícios do ácido fítico contido no farelo do arroz e da farinha de trigo integrais, o médico nutrólogo acrescenta:

– Reduz a gordura do sangue;

– Inibe o agregamento de plaquetas;

– Regula a produção de insulina;

– Previne a formação de cálculos nas vias urinárias, que são formados devido à cristalização do cálcio com o oxalato e fosfato;

– Inibe calcificações cardiovasculares;

– Diminui o risco de placas arterioescleróticas;

– Possui efeito gastroprotetor;

– Aumenta o muco do estômago, proporcionando proteção contra úlceras induzidas por etanol, contido em bebidas alcoólicas;

O grão integral possui três partes essenciais: a casca ou farelo, o endosperma e o gérmen. Após o processamento, fica apenas o endosperma, parte com quantidade reduzida de nutrientes. Assim, arroz, pizzas, bolos, salgados, macarrão e diversos alimentos consumidos pelos indivíduos são feitos com matéria prima processada, ou seja, perderam boa parte os seus nutrientes durante o processo de industrialização. Mas o Dr. Federmann lembra que existem versões integrais industrializadas que podem manter as propriedades nutritivas.

“A proporção de cereais na alimentação dos indivíduos pode chegar a 50%. Incluindo os cereais integrais no dia a dia, as pessoas podem se beneficiar desses alimentos, com melhores resultados para a saúde”, explica o médico nutrólogo.

 

Similar Articles

Acima
%d blogueiros gostam disto: