Você está aqui
Home > Nutrição > A importância da Vitamina D para as mulheres

A importância da Vitamina D para as mulheres

Fallback Image

O seu suplemento de cálcio possui a quantidade indicada de Vitamina D?

Muitas pessoas têm aderido ao consumo de suplemento de cálcio e vitamina D com sucesso. O objetivo é prevenir e manter a saúde dos ossos e a absorção dessa vitamina, que tem se mostrado, por meio de recentes pesquisas, cada vez mais importante para o organismo.

O que poucos têm conhecimento é que nem todos os suplementos de cálcio possuem a quantidade recomendada de vitamina D, o que pode diminuir os benefícios do produto e fazer com que o paciente não atinja os níveis necessários para o fortalecimento do metabolismo humano, especialmente ósseo.

Segundo o reumatologista, Dr. Roger Levy, a indicação de consumo diário de Vitamina D é de pelo menos 400 unidades/dia para quem está com deficiência da vitamina e 200 unidades/dia para os que já alcançaram e desejam manter os níveis recomendados no organismo. “É preciso estar sempre atento e verificar se o suplemento possui as concentrações de vitaminas e minerais adequadas à necessidade de cada indivíduo, principalmente a D, que também tem função essencial para a saúde dos ossos, entre outros benefícios, como prevenção de doenças auto-imunes”, explica o médico.

O consumo de suplementos de cálcio e vitamina D deve ser acompanhado de dieta balanceada, atividade física e exposição ao sol. “Esta é a receita ideal para manter os ossos fortalecidos e os níveis de vitamina D e cálcio adequados, além é claro da avaliação médica periódica”, afirma Levy.

Vitamina D

A vitamina D apresenta-se em duas formas: a vitamina D2 (ergocalciferol), que tem origem vegetal e a vitamina D3 (colecalciferol), de origem animal. A vitamina D desempenha papel importante na manutenção das atividades do organismo. Entre os benefícios apresentados está a preservação da atividade cerebral, manutenção das defesas do organismo e promoção da formação óssea e mineralização, sendo essencial para um esqueleto forte.

Mas é sempre válida a recomendação dos médicos de exposição solar, pelo menos 15 minutos ao dia, três vezes por semana. “Isso porque apenas o sol é capaz de transformar a vitamina D em sua forma ativa no organismo”, explica o reumatologista.

A força muscular também depende da Vitamina D

Uma recente pesquisa realizada em quatro países asiáticos, sendo China, Hong Kong, Taiwam e Coréia do Sul acabou com o mito de que osteoporose é rara no continente. Além disso, demonstrou que a deficiência de vitamina D em adultos pode precipitar ou agravar a osteopenia e osteoporose, osteomalacia, causar fraqueza muscular e aumentar o risco de fratura.

É de conhecimento de todos os riscos da exposição excessiva ao sol, porém muito pouco se fala dos males associados à ausência dessa exposição dentro dos limites estabelecidos de horário e tempo. Fatores como poluição ambiental e a cultura oriental do culto à pele branca, potencializam o temor à exposição ao sol nos países asiáticos e levam assim à um aumento expressivo de males associados à baixa produção de vitamina D.

O fato é comprovado pela incidência de fratura de quadril nestas localidades, que cresceu de duas a três vezes, na maioria dos países da Ásia, nos últimos 30 anos. Com isso, até 2050, mais de 50% de todas as fraturas osteoporóticas do mundo ocorrerão no continente. Esse acréscimo acompanha o desenvolvimento econômico desses países e o aumento da população idosa.

As taxas ajustadas em Hong Kong e Cingapura são quase idênticas as observados em americanos (19 pessoas em cada 10 mil), enquanto as taxas na Tailândia e Malásia foram 2/3 e metade, respectivamente da taxa de Hong Kong. Este estudo alerta para o fato de que inclusive pessoas abaixo de 60 anos também estão sob risco. Estima-se que 47% das mulheres e 22% dos homens com 50 anos de idade ou mais vão apresentar alguma fratura osteoporótica durante a vida.

Biópsias musculares em adultos com deficiência severa de vitamina D demonstraram um predomínio de fibras musculares tipo II atrofiadas. Este tipo de fibra muscular é especialmente importante por ser a primeira fibra recrutada pelo organismo para evitar a queda. Desta forma, o fato destas fibras musculares “anti-queda” estarem afetadas pela falta de vitamina D pode em parte explicar a tendência de queda em indivíduos idosos.

As conclusões demonstram os benefícios da Vitamina D para o combate da fraqueza muscular, diminuição nos riscos de quedas, entre outros benefícios que devem ser conhecidos por todos e em todas as idades.

Similar Articles

Acima