Você está aqui
Home > Nutrição > Como o diabético pode aproveitar a Páscoa?

Como o diabético pode aproveitar a Páscoa?

Fallback Image

Ovos de chocolate dos mais diversos tamanhos, sabores e combinações. Na época da Páscoa, fica difícil de resistir um pedacinho do doce tradicional, até mesmo para os diabéticos, que devem controlar a ingestão de açúcares para não elevar os níveis de glicose. Não é fácil, mas existem boas alternativas para não fugir de uma dieta equilibrada e saudável.

No Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde, estima-se que existam cerca de 11 milhões de portadores de diabetes, sendo que somente 7,5 milhões são diagnosticados. A diabetes é caracterizada pelo aumento anormal de açúcar no sangue, sendo uma das cinco doenças que mais matam no país. “Por ter uma evolução silenciosa, é importante ficar atento aos grupos de risco: pessoas com pressão alta, nível de colesterol elevado, histórico familiar e mulheres que tiveram filhos acima dos 4 kg são casos que merecem atenção no acompanhamento das taxas glicêmicas”, afirma o endocrinologista Dr. Fadlo Fraige Filho, chefe de Serviço de Endocrinologia do Hospital Beneficência Portuguesa e presidente da Associação Nacional de Assistência ao Diabético (ANAD).

Para o diabético, o consumo de chocolate deve ser moderado para não trazer complicações à saúde. Aqueles que podem desenvolver a doença precisam se atentar também pela melhor opção de chocolate neste período. O segredo é optar pela guloseima sem açúcar e consumir com responsabilidade. Além disso, manter uma dieta equilibrada e personalizada de acordo com cada paciente, em linha com o monitoramento do médico, é a melhor opção. “É importante que o paciente mantenha hábitos saudáveis, como a prática de exercícios diários e uma alimentação mais controlada, sem excessos calóricos e refeições menos ricas em gordura do que o usual, já que a gordura está presente no chocolate”, explica Dr. Fadlo.

Nas refeições, o diabético deve ingerir preferencialmente carnes brancas com um prato bem variado e colorido de salada com verduras e legumes crus: alface, rúcula, tomate, cenoura ralada, rabanete, pepino. Além de ajudar no equilíbrio da alimentação, o prato é sugestivo e motiva a pessoa a ter uma boa alimentação. Ainda é aconselhável que se compense o consumo de chocolate com menor ingestão de carboidratos, com o intuito de haver menos impacto em relação ao peso corporal e à glicemia. O ideal, também, é evitar tubérculos, como batata e mandioquinha, entre outros. Se consumidos, devem ser em pequena quantidade.

A falta de controle da diabetes pode elevar o risco de aparição de outros quadros clínicos como infartos, derrames e problemas cardiovasculares. Outros órgãos também podem ser afetados como rins, iniciando com hipertensão e depois insuficiência renal; olhos, quando a retinopatia diabética acarreta pequenas hemorragias na retina levando à cegueira; e nervos, caracterizando a perda da sensibilidade ou tato geralmente de membros inferiores. Em muitos casos, pode ser indicado que o paciente faça medições constantes dos níveis de glicose no sangue utilizando monitores portáteis, como o BREEZE® 2 ou o CONTOUR® TS, ambos da Bayer Diabetes Care. “As complicações da diabetes praticamente não existem quando o paciente faz um tratamento adequado, com o acompanhamento do médico especializado, neste caso, o endocrinologista”, destaca o presidente da ANAD.

Hoje o paciente já conta com aplicativo gratuito para controlar a diabetes, o GlicoCare, que facilita o controle das medições de glicose diárias, oferece dicas para uma vida saudável, programa lembretes e anotações do dia-a-dia. A versão em português do GlicoCare já está disponível na App Store para iPhone e iPod.

 

Similar Articles

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Acima