Você está aqui
Home > Saúde > Desvio no septo está presente de algum modo em 80% dos brasileiros

Desvio no septo está presente de algum modo em 80% dos brasileiros

Fallback Image

Sangramentos nasais, dor de cabeça e quadros de sinusite são sintomas comuns da doença

O que aparentemente pode ser visto como um simples acidente doméstico pode desencadear o surgimento de um problema capaz de alterar o correto funcionamento da fossa nasal para toda a vida. O desvio de septo, como é chamado, é causado quando a estrutura das duas fossas nasais apresenta algum grau de irregularidade, já que o adequado seria um septo (parte vertical do meio do nariz) curvilíneo.

O problema pode surgir tanto na infância, quanto na fase adulta, mas o fato é que cerca de 80% da população brasileira apresenta alguma irregularidade no nariz, segundo o Dr. Braz Nicodemo Neto, otorrinolaringologista e diretor do Hospital Paulista. “O septo nasal deve estar exatamente na linha média do nariz, dividindo as fossas nasais em tamanhos iguais. O trauma pode ocorrer durante o desenvolvimento fetal ou mesmo no momento do parto, mas as situações mais comuns são causadas por pequenos traumas nasais em um jogo de futebol ou acidente de carro, por exemplo”, revela.

O septo nasal é constituído por um tecido de cartilagem em sua porção anterior e por tecido ósseo na posterior recoberta por uma mucosa rica em vasos sanguíneos. Quando ocorre o desvio, o indivíduo pode desenvolver a obstrução de uma ou das duas fossas nasais, assim como sangramento, dores de cabeça como a cefaléia e quadros repetidos de sinusite. Durante um episódio de gripe ou resfriado, esses sintomas podem surgir ou agravar o problema. “A hereditariedade também pode estar relacionada a uma das causas do surgimento desta desordem nasal”, diz o especialista.

Mediante aos sintomas mais comuns, a realização do diagnóstico é sumariamente necessário para avaliar o local e definir o melhor tratamento. O exame físico é feito por meio de um espéculo nasal, uma espécie de alicate com duas válculas que avalia as fossas nasais, e também com outros testes específicos como a tomografia computadorizada que permite ao médico visualizar o desvio do septo.

Embora seja elevada a porcentagem da doença na população brasileira, não são todos os casos em que o procedimento cirúrgico se faz necessário e, em alguns casos, o indivíduo nem ao menos sabe que seu septo não está alinhado. O maior problema ocorre quando os sintomas começam a incomodar o paciente e os conseqüentes desconfortos, como a dificuldade na respiração, por exemplo, pode resultar em sinusite.

Correção do septo

Para aqueles que necessitam da cirurgia com o objetivo de recuperar o aspecto curvilíneo do septo, o tratamento consiste no procedimento cirúrgico. “A septoplastia, que é a correção do desvio, coloca o septo em sua linha média”, ressalta o especialista, enfatizando que somente os indivíduos com sinais e sintomas decorrentes após avaliação de um otorrinolaringologista é que devem submeter-se a este método.

No entanto, este incômodo problema pode nem ao menos surgir se o indivíduo seguir algumas medidas preventivas como ser cauteloso durante a prática de esportes de impacto e sempre utilizar o cinto de segurança durante o trajeto veicular.

Similar Articles

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Acima