Você está aqui
Home > Relacionamento > Dicas para previnir a "síndrome do Marido Mimado"

Dicas para previnir a "síndrome do Marido Mimado"

Fallback Image

Você chega em casa, abre a porta e se depara com uma decoração inusitada: meias jogadas pela sala, toalha molhada em cima da cama, comida estragando fora da geladeira. Ele abre um sorriso e pergunta: “E aí, amor, o que teremos para o jantar?”. Isso, é claro, se ele estiver de bom humor.

Tomada pelo cansaço de mais um dia de trabalho, você respira fundo e sai recolhendo a bagunça, se questionando: “O que será que eu fiz para deixá-lo tão mal acostumado?”. Se você já viu esse filme, saiba que mesmo nos dias de hoje, tão simbolizados pela independência feminina e pela tal igualdade de direitos, muitos homens ainda esperam que suas esposas façam o papel de mãe e/ou empregada deles.

“Alguns podem exigir esse tipo de tratamento especial porque era assim que seus pais agiam com suas mães. Quando partem para uma vida a dois, agem como se tivessem posse da esposa como serva”, esclarece a psicóloga Juliana Santos, especialista em terapia de casais e família.

“Por mais absurdo que possa parecer, ainda hoje as meninas são educadas para cuidar, e os meninos, para receber cuidados; e esse é um dos aprendizados que infl ui diretamente na escolha de parceiros. Assim, a mulher que aprendeu que é sua função cuidar, escolherá inconscientemente um marido que aprendeu a ser cuidado e vice-versa”, explica a psicóloga Célia Maria de Souza, master em Programação Neurolinguística.

Um erro que desencadeia outros

Como você já bem sabe, trata-se de mais uma daquelas bolas de neve. A questão toda, que não passava de um pequeno desconforto, torna-se um problemão, foco de inúmeros atritos. Segundo a doutora Célia, “há uma sequência de erros’, como começar a lembrá-lo de seus compromissos, resolver pequenas coisas do dia-a-dia por ele, como ir ao banco, reservar estadias de hotéis e restaurantes. São pequenos detalhes que vão fazendo com que o homem se acomode e reforce sua crença de que realmente precisa ser cuidado pela mulher e de que isto é responsabilidade dela.”

É nessa hora que a relação pede socorro: “O casamento se torna um fardo para a mulher. Gera cobranças, insatisfações e punições, a maioria inconscientes, atingindo comumente a intimidade do casal, tanto a sexualidade quanto a comunicação. Por outro lado, esse comportamento da mulher pode deixar o homem inseguro e com baixa autoestima, com o sentimento de que não sabe fazer nada e não sobrevive sem ela, o que o assusta, e pode fazer com que ele a deprecie, como mecanismo de defesa”, conclui a psicóloga.

A união de duas pessoas traz muitas mudanças para ambos, principalmente nos primeiros anos de convivência, já que toda a rotina muda e a partir dali eles terão uma vida completamente nova. Quando o casal chega ao ponto de passar por uma situação-limite, em que não existem diálogo e compreensão mútuos, a ajuda profissional pode ser a melhor solução.

“A terapia de casal é muito importante, pois os ajuda a entender o movimento da relação. A maior parte do conflito se concentra na dificuldade de comunicação, em que já não se ouve, não se fala e, quando um tenta, não utiliza a linguagem adequada. Essa é a principal função do terapeuta: facilitar o autoconhecimento, a comunicação e a compreensão do casal”, resume a doutora Célia.

Fale abertamente

Se não se sente bem realizando tarefas que “mimam” seu marido, você deve ter uma conversa franca, sem preconceitos e dizer por que isso a incomoda e o que podem fazer para melhorar. Se coloque à disposição para entender as necessidades dele também. Façam um acordo em relação às tarefas do lar. Existem papéis que o homem desempenha melhor e vice-versa.

Papo de família

Conversem sobre a vida familiar que tiveram na infância, compartilhem as expectativas, entendam porque cada um pensa de uma forma e repensem os modelos para entrar em um acordo.

Perdoar é preciso

Para iniciar um novo caminho, é necessário perdoar, esquecer o passado e recomeçar. Exercite.

Evite críticas

As críticas fazem com que os mecanismos de defesa do outro sejam acionados e, consequentemente, os seus também. Estimule-o
a fazer pequenas coisas no início e, quando menos esperar, ele já estará fazendo outras. Deixe-o sentir-se útil.

Delegue algumas tarefas

Acredite: Você é um ser humano e não a Mulher Maravilha. Não precisa dar conta de tudo. Aprenda a dizer NÃO!

Leia sobre o assunto

A psicóloga Juliana Santos recomenda o livro Como Mudar o que Mais Irrita no Casamento, do autor Gary Chapman, que traz dicas importantes e muito úteis para quem deseja renovar a vida conjugal.

Procure ajuda profissional

Amigos e parentes têm boa intenção, mas estão emocionalmente envolvidos e isto pode prejudicar a análise dos fatos. E lembre-se sempre: Só fazem com você o que você permite.

[UOL]

Similar Articles

Acima