Você está aqui
Home > Diversos > Uso de piercing na língua requer cuidados redobrados com a higiene bucal

Uso de piercing na língua requer cuidados redobrados com a higiene bucal

Fallback Image

Especialista afirma que qualquer jóia ou acessório instalado na cavidade bucal pode causar diversos malefícios à saúde se não houver uma higienização adequada com orientação odontológica

O interesse pela boa aparência vai muito além de vestir roupas da moda ou inovar no penteado dos cabelos, o uso de acessórios na cavidade bucal, principalmente o piercing lingual, tem se tornado bastante comum dentre os jovens nos últimos anos. Muitos usuários, entretanto, não sabem que deve haver cuidados especiais com a higiene oral para evitar que a vaidade vire um problema de saúde bucal, uma vez que a mucosa dessa região é bastante sensível, ao contrário da pele.

A cavidade bucal é um ambiente habitado por centenas de espécies de bactérias e que, por este motivo, qualquer peça ou acessório que possa reter alimentos e proporcionar um nicho desses seres, pode agravar ou proporcionar o surgimento de feridas, dentre outras consequências. O Profº e Odontopediatra da TopDent, Dr. José Eduardo de Oliveira Lima, comenta que não é contra ao uso do acessório, desde que o usuário redobre os cuidados, sobretudo, com a higienização.

De acordo com o especialista, em primeiro lugar, o interessado deve procurar um local adequado para instalar a peça, quer dizer, um profissional experiente que respeite todas as normas sanitárias. “O uso de instrumentos e materiais esterilizados ou descartáveis, um local apropriado e o uso de luvas associados ao conhecimento do profissional são algumas dicas que podem garantir a segurança e qualidade do procedimento”, diz Dr. Lima. Mas esse é só o primeiro passo, pois os cuidados diários com a higienização vão ser fundamentais para evitar complicações posteriores.

Pesquisas demonstram que boa parte dos usuários apresenta alterações teciduais que vão desde um simples processo inflamatório crônico até casos de lesões consideradas cancerígenas como a leucoplasia e displasia epitelial, por exemplo. Além das alterações teciduais, o piercing pode causar ainda: fratura dental, retração gengival, úlcera traumática, dor e inchaço, mau hálito etc. Por esta razão, os cuidados com a higienização devem ser redobrados para evitar esses problemas, de preferência com a supervisão do dentista.

“Ninguém precisa deixar de usar o piercing. Mas, para todos os tipos de peças na língua ou em qualquer outra área da cavidade bucal é aconselhável removê-lá pelo menos três vezes ao dia para higiene, com solução de clorexidina a 0,12%. Trata-se de uma substância bactericida que age na diminuição do risco de infestação de bactérias nocivas, diminuindo, conseqüentemente, o risco de infecções causadas pelo uso de piercing”, ensina o especialista.

Dr. Lima ainda reforça que o ideal, independente do uso de piercing ou não, é que todas as pessoas participem de uma odontologia de acompanhamento.

Por Dr. José Eduardo de Oliveira Lima – Professor da USP e cirurgião-dentista especialista em odontopediatria da TopDent.

Similar Articles

Acima