Você está aqui
Home > Nutrição > Café-da-manhã pode contribuir para afastar obesidade

Café-da-manhã pode contribuir para afastar obesidade

Fallback Image

Estudo aponta que refeição matinal reduz probabilidade de elevação dos índices de triglicérides, colesterol e glicose.

Já ouviu dizer que o café-da-manhã é a principal refeição? O professor mestre Diego Giulliano Destro Christofaro, da Educação Física da Unoeste, confirma que a alimentação matinal é mesmo importante. A afirmação está baseada em pesquisa da qual tem contribuição. Foram entrevistados 174 crianças e adolescentes acima do peso, entre 6 e 17 anos. E o resultado impressiona: mais da metade não faz do café-da-manhã a primeira refeição do dia. Com isso, é provável que haja direta associação com prejuízos à saúde.

Segundo Christofaro, “o perfil lipídico dos que tomam café-da-manhã é melhor”. Ou seja, quem come após acordar tem menos chance de ter índices indesejados de triglicérides, colesterol e glicose. Em razão dos benefícios constatados por esse estudo, realizado na Universidade Estadual Paulista (Unesp), onde Christofaro atuou como colaborador, é fundamental tomar café-da-manhã “para evitar que se chegue ao almoço com muito mais fome e coma em demasia”. O educador físico descreve que essa sensação de estar mais faminto ocorre, pois, ficar em jejum desde a noite anterior aumenta, no estômago, a produção de grelina, o hormônio responsável pela fome.

Portanto, para fazer seis refeições saudáveis ao dia e não se tornar inimigo do “hormônio da fome”, a comida matinal tem que ser bem selecionada. Nutricionistas indicam, conforme o professor, a ingestão de fibras e proteínas. As primeiras são encontradas em cereais integrais e frutas como mamão, laranja e ameixa. Os alimentos ricos em proteínas são o leite e o queijo branco. “O café-da-manhã é a hora em que você manda uma demanda energética para conseguir desenvolver as atividades do dia a dia”.

Christofaro relata que a pesquisa sobre os hábitos alimentares fomenta as produções científicas, até porque ela será publicada em formato de artigo na revista The Journal of Pediatrics. O veículo é um dos mais respeitados do mundo sobre pediatria e com conceito Qualis A-1. O estudo também é relevante, pois coloca em prática os conhecimentos que os educadores físicos veem na teoria. Um deles se deu por meio da confirmação do sobrepeso das crianças e dos adolescentes avaliados. A constatação foi feita com a Absortometria Radiológica de Dupla Energia (Dexa), método de avaliação corpórea mais aprimorada do que o Índice de Massa Corporal (IMC).

Similar Articles

Leave a Reply

19 + eleven =

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Acima