Você está aqui
Home > Gravidez e Bebê > Drenagem linfática durante a gestação é fundamental?

Drenagem linfática durante a gestação é fundamental?

Fallback Image

A partir de quantos meses de gestação pode começar a drenagem? Quantas sessões por semana são indicadas? Quais contra indicações e os benefícios para a mamãe e seu bebê?

“Gerar um filho é um estado de graça especial, mas que requer cuidados diários com a saúde física e mental. A drenagem linfática, técnica de massagem tão difundida, é uma aliada para esse público e fundamental principalmente para mulheres gestantes para prevenção e redução de edemas”, explica a fisioterapeuta Vanessa Marques.

O que isso significa? De acordo com a especialista, durante a gestação, retemos muito mais liquido do que o normal, por ação de diversos hormônios circulantes no organismo durante a gestação e com isto temos um aumento do volume sanguíneo que varia de 30% a 50%.

Vanessa ressalta que a drenagem tem resultados efetivos. O número de sessões vai depender da avaliação do profissional e do médico que está acompanhando a gestante. Durante a avaliação, é observado qual o grau de edema em que a paciente em se encontra. Geralmente, são feitas duas por semana.

“Com a liberação médica, a massagem pode ser realizada, na maioria dos casos, após a 12º semana de gestação. Fazemos uma avaliação detalhada na paciente, por exemplo, para detectar alterações circulatórias como tromboses, checar problemas cardíacos, febres e infecções, hipertensão arterial não controlada. Manobras erradas podem levar até a um parto-prematuro, sem contar outros problemas de saúde. Por isto a importância do profissional ser habilitado para saber identificar tais alterações”, alerta ela.

A drenagem linfática estimula a circulação venosa e linfática, auxilia na desintoxicação do organismo. Ativa o sistema imunológico. Ajuda na prevenção de varizes e na sensação de pernas cansadas, além de proporcionar bem-estar para a mamãe, conseqüentemente, o bebê fica mais tranqüilo.

Entre outros cuidados, a fisioterapeuta menciona:

• Regiões como abdômen, lombar e sacral não devem ser estimuladas;

• A gestante nunca deve permanecer muito tempo deitada decúbito dorsal (barriga para cima), pois pode haver compressão da veia cava, pelo aumento do volume uterino, o que não ocorre com uma mulher que não seja gestante. A melhor posição para executar a manobra é decúbito Lateral.

• Não utilizar técnicas de pressão acentuada associadas a drenagem linfática como a massagem modeladora.

• Sempre importante lembrar que a drenagem linfática é uma manobra, leve, rítmica,lenta, sendo realizada com as mãos, não deixando hematomas.

Vanessa Marques é fisioterapeuta especialista em Obstetrícia pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), e Fisioterapia hospitalar pelo Hospital Israelita Albert Einstein.

Similar Articles

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Acima