Você está aqui
Home > Noiva e Casamento > Noiva abandonada no altar, entenda porque

Noiva abandonada no altar, entenda porque

Fallback Image

ser-deixada-no-altar

O que fiz para merecer isso?

Ser abandonada no dia do casamento não só lhe causará uma terrível dor de cabeça e um sofrimento imenso, como também pode gerar um pesadelo financeiro.

As pessoas que foram abandonadas no altar sentem uma esmagadora sensação de irrealidade. Tentam racionalizar o que aconteceu e acreditam que deve existir alguma razão, além de um sentimento real de confusão e incredulidade. Sentem-se fracassadas e começam a se perguntar: “por que eu?” ou “a culpa é minha?”. Muitas vezes estas pessoas se sentem como mercadorias defeituosas que foram deixadas de lado.

Explicações tardias

Existe alguma boa razão para alguém deixar a noiva sozinha no altar?

Algumas vezes as razões são práticas, como por exemplo, a pessoa descobre que sofre de uma doença grave e sente que não pode sustentar o casamento, mesmo amando o seu futuro esposo(a). Em outros casos, a pessoa pode ter tido dúvidas durante um tempo, mas não teve coragem de abordar o assunto. Todo o processo do casamento parece ter vida própria, e freqüentemente muitas pessoas sentem que não podem saltar do trem quando está em movimento.

O medo do compromisso ou a simples e pura covardia são outros sentimentos muito humanos que fazem com que a pessoa desista de um casamento. Muitas vezes, quando uma pessoa começa a ter dúvidas, sua família e amigos tendem a dizer que esse medo não é tão importante e que é somente um estado de nervosismo frente a um grande evento. Quando a pessoa sente que suas preocupações não são levadas à sério, deixará o tema para o último momento e então não terá outra opção a não ser fugir.

Sobreviventes do naufrágio

Nem todo mundo considera isso uma grande catástrofe. Algumas noivas, por exemplo, decidem partir mesmo assim para a sua viagem de lua-de-mel e outras continuam com a festa e terminam a noite dançando junto com os 250 convidados ao som de “I will survive”, de Gloria Gaynor. Outras pessoas são suficientemente compreensivas para perdoar esse abandono e se consolam com o fato de que o noivo(a) deve estar sentindo muita vergonha e arrependimento, publicou Discoverymulher.

Entenda os traumas de quem é abandonado no altar

Noivas estão sendo abandonadas às vésperas do casamento com muito mais freqüência do que imaginamos. As mulheres reclamam que os homens fogem de um namoro mais sério e explicam que tudo começa com certa intensidade, mas, em poucos dias, o calor da paixão se esvai. Por quê?

Muitos homens têm medo de assumir um compromisso por problemas psicológicos e traumas que vêm da infância ou pelo simples fato de não desejarem uma relação mais séria que termine em matrimônio.

Eles abominam o fato de se casarem e se declaram tão apaixonados pela vida de solteiro que fazem qualquer coisa para permanecerem nessa condição. Claro que alguns sofrem, porque desejam uma convivência com alguém. Eles amam a mulher dos seus sonhos, namoram, ficam noivos, mas, quando a data do casamento é marcada, retrocedem.

Um pouco antes do casamento, ele passará a evitar um contato mais íntimo com a namorada, com a desculpa de que está nervoso com a aproximação da data. Ou seja, dá sinais de que deseja desistir.

E, se no dia do casamento, o noivo não tiver para onde fugir, a cena é clássica: aparecerão todos os sintomas da fobia, como suor nas mãos, taquicardia, ansiedade e até o desmaio. O normal é que um casal se conheça, mantenha um relacionamento e chegue ao casamento. Mas, quando o homem foge do compromisso, um dos recursos mais usados pela ala masculina é ter um caso.

Michael A. Corey, no seu livro Adultério, explica que os homens ficam apavorados quando entendem que o casamento significa viver em um ambiente emocionalmente sufocante. Como temem ser aprisionados, tentam fugir de uma forma em que a sociedade não o julgaria com tanta severidade. Ou seja, para o autor do livro, o homem que tem uma relação extraconjugal na véspera do casório seria perdoado depois de certo tempo.

O fato é que qualquer pessoa que tenha essa dificuldade de assumir um compromisso precisa de terapia. Qualquer trauma ou compromisso frustrado no passado deve ser resolvido. O homem deve entender que precisa de ajuda, pois está carregando um excesso de sofrimento.

Por outro lado, a pessoa abandonada também precisa de apoio. O trauma de ser abandonado é imenso. Dependendo da estrutura psicológica, a vítima pode apresentar um quadro de depressão aguda e fobias. Nos casos mais graves, será necessário tratamento médico. Vale lembrar que a vítima (com o amparo de laudos de psicólogos ou psiquiatras) também pode recorrer a um pedido de indenização por danos morais, caso o parceiro ou a parceira termine o noivado próximo à data do casamento, sem que exista um motivo forte para o rompimento.

Lenda e superstição

Na Bahia, ficou conhecida a história da “mulher de roxo”, seu nome era Florinda e vestia-se com uma roupa de veludo roxo, parecida com a indumentária das santas da igreja católica. Ela foi abandonada no altar, teve depressão e apresentou problemas psicológicos. Até a década de 70, era comum vê-la nas ruas de Salvador, usando seu vestido de noiva, desfilando de véu e grinalda. Depois, nos anos 80, passou a usar a cor roxa. Andava sempre sorrindo nas calçadas da Rua Chile. Acabou sendo internada no Hospital Santo Antônio em 1993.

Conta uma lenda que uma mulher foi abandonada no altar e, decepcionada, foi ao banheiro da sacristia chorar. Sua dor foi tanta que acabou morrendo do coração. Algumas pessoas tentaram socorrê-la, mas em vão. Antes de sua morte, elas ouviram os gritos garantindo que iria perseguir todas as noivas que se casariam depois dela. Por isso, a tradição popular recomenda que a mulher que está prestes a se casar não vá ao banheiro à meia-noite, pois o fantasma da noiva abandonada pode aparecer no reflexo do espelho rogando pragas, publicou Terra.

Similar Articles

Acima
%d blogueiros gostam disto: