Você está aqui
Home > Relacionamento > Pisei na bola com meu filho e agora?

Pisei na bola com meu filho e agora?

Fallback Image

crianca-triste

Coordenadora Pedagógica orienta os pais sobre como agirem depois de falharem com os filhos

Fevereiro de 2013 – Quem nunca cometeu uma mancada, por menor que fosse, e acabou magoando alguém sem querer que atire a primeira pedra. Cometer uma pequena falha com quem quer que seja não é um ato extremamente condenável, mas é preciso ter cuidado para que o problema não se torne rotineiro. Dependendo de quem for o prejudicado, as consequências podem se agravar, como no caso dos pais que algumas vezes pisam na bola com seus filhos, principalmente se estes ainda forem pequenos e estiverem na fase de desenvolvimento e aprendizado.

Adriana Iassuda, Coordenadora Pedagógica do Colégio Itatiaia, faz um alerta aos pais sobre como agirem com seus pequeninos: “Na minha opinião o pior tipo de mancada que pode ser cometido com o filho é não cumprir o que foi prometido a ele, por isso é necessário ter muita cautela no momento de fazer uma promessa”, relata.

Mas se a falha já aconteceu e a criança ficou profundamente frustrada com seus pais é possível que eles possam reverter a situação. Para Adriana, falar a verdade é algo essencial nestes momentos. “Conversar e explicar o que realmente se passou é muito importante, pois às vezes achamos não ser a solução mais adequada, mas a grande questão é que os filhos sentem quando os pais não estão certos do que falam e a situação só pode piorar”, completa.

Dependendo do tipo de mancada e da quantidade de vezes que elas ocorrem muitas crianças podem até mesmo acabar perdendo a confiança em quem as magoou. De acordo com Adriana, o fato de filhos pequenos deixarem de confiar em seus pais é algo mais difícil, porém não é impossível. Além disso, se muitos erros forem cometidos diversas vezes, as consequências nos pequenos podem ir se manifestando gradativamente conforme eles forem crescendo até que a situação se torne insustentável.

Se isso ocorrer, a Coordenadora Pedagógica ressalta que uma das alternativas está no exemplo que deverá ser dado pelos pais. “Assumir a responsabilidade pode ser uma boa escolha. Devemos ter em mente que para as crianças os pais sempre serão ‘heróis’ e que deve ser muito difícil para os pequenos perceber que seus ‘ícones’ não cumprem o que prometem”, diz.

Entretanto, a melhor maneira de ter um bom relacionamento com os filhos é evitar frustrá-los por causa de falhas ou esquecimentos. Para isso Adriana Iassuda dá algumas orientações:

· Fale sempre a verdade com os filhos.

· Procure cumprir o que prometeu a eles.

· Seja coerente e pense antes de falar ou prometer algo, principalmente quando se tratar de alguma repreensão para uma atitude inadequada.

· Lógica e calma são bons aliados antes de se tomar qualquer atitude com as crianças.

Simples medidas podem realmente fazer a diferença para garantir um bom convívio familiar e um crescimento emocional saudável dos filhos.

Similar Articles

Acima